Lembretes luminosos

by

Ser maleável e flexível para transformar em luzes as situações de sombras

Tenho chamado a atenção para essa busca do sonhado equilíbrio em nosso cotidiano através de pontos que tanto nos levam para cima partindo da rotina diária e chegam ao ponto máximo, a evolução, quanto nos fazem baixar até a perigosa anulação.

Analisando algumas dificuldades nossas que impedem o bem estar pessoal e a felicidade e revendo alguns conceitos comportamentais, formulei alguns lembretes importantes que, acredito, podem facilitar as nossas atitudes diante da vida e não nos deixam cair em sombras perigosas ou poços aterradores de nós mesmos.

São eles: 1 – Entender que cada um é um, sempre e não se pode fazer comparações ou exigências;

2 – Perceber o quanto pode ser prejudicial a educação para renúncia ou para a aceitação sem a importante discussão ou questionamento;

3 – Tentar segurar essa Onipotência voltada para os valores externos, para o status, para os cargos;

4 – Lutar contra o exercício da barganha e da chantagem em nome do afeto, achando que é carinho quando pode ser tentativa de anulação;

5 – Baixar a horrível necessidade de chamar a atenção pela auto-piedade;

6 – Tomar cuidado para não prosseguir numa identidade crescente para não se distanciar de alguns amados que podem ficar para trás;

7 – Analisar a falta de objetivos verdadeiros, o que não nos impulsiona para prosseguir ou mudar;

8 – Não ter medo de vivenciar o nosso drama pessoal: a consciência de que as escolhas são nossas. Muitos se recusam internamente a perceber isso;

9 – Tentar o entendimento razoável de que temos de abrir mão de uma coisa pela outra, já que não se pode ter tudo, ainda que esse abrir mão seja transitório;

10 – Assumir a tendência à proteção além da conta, ou seja, muito mais do que precisávamos por acomodação.

Esses lembretes que parecem tão simples acabam complexos quando não percebidos e são luminosos na ajuda de um viver mais amplo, onde a inquietação se move livremente em favor da satisfação dos nossos desejos.

De todos eles, acho dois importantíssimos em qualquer tempo: o cuidado para não cair na auto-piedade que nos ronda diariamente, basta que a gente se sinta só ou relegado por alguém que amamos(embora isso não exista); e esse entendimento de que não se pode ter tudo, ainda que se deseje tudo e mais um pouco e que uma escolha implica em abrir mão de um outro caminho ou de uma opção que também poderia ser considerável. Mas o que não foi feito, ainda o poderá ser num futuro.

Enfim, esses preciosos e objetivos lembretes nos mostram o quanto viver de uma maneira maleável, flexibilizada, pode nos fazer bem e transformar em luzes situações de sombras que pareciam permanentes e frias. Basta ter boa vontade para tentar exercê-los.