Vinícolas de Charme Capítulo II

by

Livro recentemente lançado inspira degustação em 3 atos

Quarteto de Grandes Tintos da Toscana

Na semana passada publicamos a introdução ao belíssimo livro Vinícola de Charme de Claudio Schleder, que foi a grande inspiração, para “revisitarmos” alguns dos mais prestigiados produtores da Itália. Não só emergimos pagina a pagina do livro, como tivemos o prazer de degustar novamente vinhos elaborados por essas renomadas propriedades. O 1º capitulo foi dedicado somente aos deliciosos vinhos do Piemonte.

Nessa semana vamos dedicar essa coluna aos grandes tintos da Toscana, a região italiana que rivaliza com o Piemonte, como a que mais vinhos especiais produz. Os tintos da Toscana são hoje os mais badalados de toda a bota, com destaque para os Chianti, Super Toscanos e Brunello.

Nos Chianti ,a DOCG (Denominazione di Origine Controllata e Garantita), obriga que os vinhos possuam no mínimo 80% da Casta Sangiovese, sendo no restante permitido inclusive a utilização de castas “internacionais”, como Cabernet Sauvignon e Merlot, dentre outras. Nos Super Toscanos, por serem, na sua grande maioria IGT (Indicazione geografica tipica), não possuem regra tão rígida.

Um Super Toscano pode ser um vinho com Sangiovese predominante, bem como um blend de Sangiovese com Cabernet, ou até mesmo um Cabernet Franc puro, por exemplo. Finalmente, os Brunello, são produzidos também obrigatoriamente pela DOCG com 100% de Sangiovese grosso, como a sangiovese é chamada em Montalcino.

Os produtores da Toscana do livro em questão são a crème de la crème da região. Claudio escolheu com profundidade, pois seguramente as mais importantes casas produtoras de grandes vinhos da região estão em destaque no livro. Se tivesse que escolher meus produtores favoritos da região, quase todos estão presentes nesse lindo livro.

Meus produtores favoritos da Toscana são Antinori, Azienda Fontodi (Familia Manetti) e Castello di Fonterutoli (Familia Mazzei) da Toscana Central, ao lado de Tua Rita e Tenuta San Guido da Costa, e por último, Casanova di Neri e Tenuta Silvio Nardi de Montalcino. Pessoalmente destacaria também 3 vinícolas que adoro, que não estão presentes no livro, são elas a Fattoria di Felsina ,do Chianti, Le Machiolle ,da costa, e Gianfranco Soldera de Montalcino.

Os nobres Tintos Toscanos

Os grandes tintos toscanos degustados do “delicioso” livro Vinícolas de Charme são:

Tua Rita Rosso di Notri 2009 – O vinho mais simples dessa excepcional casa, que foi a precursora na região de Suvereto na costa toscana. Seu Redigaffi, um Merlot in purezza, é o Chateau Petrus da Itália, e seu Syrah, é hoje um dos mais destacados do País. Esse tinto é elaborado a partir de 50% da local Sangiovese e o restante de castas internacionais com destaque para Cabernet Sauvignon, Merlot e Syrah.

Sutil e cheio de estilo para consumo sem compromisso. Fruta madura presente com bom equilíbrio ao lado de boa acidez e toques defumados, finalizando com uma nuance mineral. Boca apetitosa. Um tinto que casou muito bem com um fondue de queijo em frente da lareira. Construído para consumo imediato.  88 pontos

Tua Rita, a pioneria de Suvereto na costa Toscana e dois de suas jóias

Tua Rita Giusto di Notri 2008 – O corte bordalês da casa Tua Rita, que rivaliza como os mais badalados Syrah e Redigaffi (Merlot), esse último sonho de consumo de muitos enófilos, é hoje o Merlot puro mais importante de toda a Itália. O Giusto di Notri sempre me impressionou mais que o próprio Redigaffi. É sempre de mais fácil compreensão. É um tinto elaborado a partir de 30% Merlot, 60 % Cabernet Sauvignon e 10% Cabernet Franc. Está no mesmo nível do espetacular 2007, degustado ano passado.

Um tinto sólido, que demorou para mostrar seus aromas. Por isso recomenda-se decanta-lo. Depois de 15 minutos na taça desprendeu a fruta madura (cerejas, ameixas, etc.) seguida de uma deliciosa marca de madeira, tons minerais e florais. O conjunto aromático é delicioso. Lembra um grande Bordeaux de estilo moderno. Em boca, apesar de ainda jovem, é volumoso, rico e estruturado.

Taninos de excelente formação e um final de boca vibrante. Um super vinho, que já está delicioso. Estará melhor em dois anos e com mais 10 anos pela frente de muita evolução em garrafa. 95 pontos

Um dos mais espetaculares Super Toscanos, o Grandioso Siepi

Mazzei Siepi 2005 – Um dos mais espetaculares e constantes tintos de toda Itália. Já tivemos a oportunidade de provar todas as safras dessa joia desde a safra 1993. Nunca provei um Siepi que não fosse excepcional. Mesmo em safras mais difíceis o Siepi brilha.

O 1997 foi campeão às cegas entre os super toscanos dessa reluzente safra por mais de uma vez. O blend do mais importante vinho da família Mazzei , do Catello di Fonterutoli ,é elaborado com Sangiovese e Merlot, em partes iguais. Esse 2005 aromaticamente é inebriante. Sobra fruta e charme. O carvalho é milimetricamente ajustado para estar em equilíbrio com a acidez, o álcool e os tons especiados.

Em boca o que sempre impressiona no Siepi é a qualidade se seus taninos, o que se repete mais uma vez nesse 2005. Seu conjunto é suculento. Um tinto inesquecível como todos os outros seus “irmãos” degustados. Delicioso hoje e com estrutura para continuar evoluindo por mais 7/10 anos.  95 pontos

Um dos mais destacados Syrah puros da Itália

Fontodi Syrah Case Via 2004 – A casa tem como destaque seus Sangiovese, o Flaccianello (Sangiovese in purezza) e o Chianti Riserva Vigna del Sorbo (80% de Sangiovese). Além dessas duas joias a casa produz um Syrah Puro, esse Case Via. A Syrah já brilha na Toscana há alguns anos, tanto na Toscana Central quanto na Costa, quanto em Cortona. O Case Via é ao lado do Le Macchiole Scrio e Tua Rita Syrah, da Costa Toscana, e do Tenuta Luigi D’Alessandro Il Bosco, de Cortona, um dos mais grandiosos Syrah de toda a Itália.

Buque delicioso com a fruta negra madura muito presente, seguida de toques especiados e hints terrosos, com um final animal. Palato firme, confirmado a fruta madura detectada nos aromas. Final de boca cheio de vida. Para quem é fã de Syrah, esse tinto é uma excelente pedida. 93 pontos.

Casanova di Neri e seu delicioso Brunello 2005

Casanova di Neri Brunello di Montalcino 2005 – Talvez a casa que mais Brunello elegantes produz. Esse exemplar é o Brunello básico da casa, que tem duas verdadeiras joias como destaque, são os Brunello o Tenuta Nuova e o Cerretalto.

Mesmo sendo um tinto sem a badalação dos irmãos mais famosos, é revelador. No nariz é cheio de vida, com elegância de sobra. Antes para degustar um Brunello era preciso esperar anos. Esse tinto já está muito prazeroso.

Aromas muito equilibrados com fruta madura (ameixas e cerejas negras) em destaque seguidas de boa marca da madeira, toques de especiarias e tons florais. O conjunto de aromas é muito agradável. Boca formal e ao mesmo tempo exuberante. Um Brunello muito gostoso e já muito acessível, mesmo em sua plena juventude.  92 pontos.

Rótulo do delicioso Brunello di Montalcino Manachiara

Tenute Silvio Nardi Brunello di Montacino Manachiara 2005 – Um dos pontos mais importantes para apreciar um Brunello é o nome do produtor. Infelizmente temos Brunello de ruins para péssimos, por isso antes de comprar um, deve-se conhecer o produtor. Essa Tenute, uma das mais respeitadas casas de Montalcino, lança excelentes tintos, entra ano, sai ano. Esse Brunello de vinhedo único (single vineyard) da excelente safra 2005 é o mais importante dentre todos produzidos por essa renomada casa.

Provocante nos aromas. É um misto de um Brunello  tradicional e moderno. As cerejas negras maduras estão entrelaçadas com toques minerais, florais e uma nuance cítrica, que lhe concede inusitado frescor. Na boca, é equilibrado. Estrutura impressionante. Profundo e complexo. Apesar de muito jovem, já é apreciável.

Degustado há um ano atrás e agora para essa matéria. Esse tempo lhe fez muito bem. Estará melhorando em garrafa por mais 10 anos. 93 pontos.

Vinhedo de Sangiovese Grosso na Tenute Silvio Nardi

Na semana que vem tem mais vinhos das Vinícolas de Charme, dessa vez falaremos dos vinhos e das vinícolas do Friuli, do Trentino, do Vêneto e da Sicilia…  Boa semana.

O Livro Vinícolas de Charme de Cláudio Schleder

Os vinhos Castello di Fonterutoli (Mazzei) e Casanova di Neri são importados para o Brasil pela Expand – www.expand.com.br

Os vinhos Tua Rita são importados para o Brasil pela WorldWine – www.worldwine.com.br

Os vinhos Fontodi são importados para o Brasil pela Vinci Vinhoswww.vinci.com.br

Os vinhos Tenute Silvio Nardi são importados para o Brasil pela Ana Import – www.anaimport.com.br