Palmeiras usadas no paisagismo

by

Confira algumas dicas para encontrar a melhor espécie para cada ambiente

Atualmente no paisagismo, embelezar e criar jardins harmoniosos tanto em casas, quanto lugares públicos como praças, empresas, entradas de chácaras, lagos, shoppings entre outros, é fundamental para completar e obter locais mais agradáveis. E para dar aquele charme e um ar de um local mais bonito e sofisticado existem as palmeiras que prometem embelezar qualquer lugar em que forem plantadas.

As palmeiras dão vida ao jardim transformando completamente o ambiente, mas é preciso conhecer o tipo de palmeira que vai ser plantada no seu jardim a fim de não se arrepender depois. Há mais de 2.500 espécies de palmeiras no mundo.

Essas belas plantas valorizam bastante o local ao qual são inseridas. São vários os tipos de Palmeiras e suas características são bem peculiares, por esse motivo, é muito importante contratar um paisagista para elaborar um projeto e escolher as melhores espécies.

São plantas um pouco mais caras e de alto valor ornamental.

Antes de plantar qualquer tipo de palmeira em um jardim é necessário saber qual o melhor tipo para se adaptar ao ambiente onde ela vai ser plantada. Uma preocupação bastante comum e que pode trazer grandes conseqüências é quanto a proliferação das raízes das plantas que podem invadir as tubulações de esgotos e de água potável tomando conta da estrutura dos canos de modo que eles possam entupir e interromper o seu processo de funcionamento.

Seguem algumas espécies bastante usadas no Paisagismo:

Nome científico: Phoenix roebelenii
Nome popular: Fênix, palmeira-fênix, tamareira-de-jardim, tamareira-anã, palmeira-anã
Origem: Vietnã e Tailândia

Palmeira ereta, de crescimento lento, atingindo de 2 a 4 metros de altura e diâmetro do tronco em torno de 15 a 20cm, razão pela qual muitos a chamam de mini-palmeira. Seus frutos são vinho-escuros que são apreciados por pássaros.

Prefere sol pleno, mas pode ser cultivada à meia-sombra e até em interiores bem iluminados, inclusive em vasos. Resiste ao frio e é freqüentemente encontrada em jardins do Brasil e em decoração de interiores. Planta tipicamente tropical e muito usada no Paisagismo.

Adapta-se aos mais variados tipos de solo.Possui espinhos na base das folhas, razão pela qual todo o cuidado se faz necessário no momento da limpeza.

Nome Científico: Dypsis lutescens
Nome Popular: Palmeira-areca, areca, areca-bambu
Origem: Madagascar

A palmeira-areca é umas das palmeiras mais populares do mundo, tanto no jardim quanto na decoração de interiores. Seu crescimento se dá em touceiras.

Em comparação com outras palmeiras, a areca-bambú apresenta rápido crescimento. Ela pode ser conduzida de duas formas: com porte arbustivo (com muitos caules – atinge até 3 metros) ou arbóreo (com poucos caules – atinge até 9 metros).

Esta palmeira ainda é mais versátil do que se imagina, podendo ser amplamente utilizada no paisagismo tropical, seja isolada, em cercas vivas, grupos ou até mesmo envasada, em pátios e ambientes internos. Apesar de tolerar o sol pleno e crescer muito nestas condições, ela fica com as folhas amareladas, com as pontas queimadas. Suas folhas ficam mais vistosas e bonitas sob meia sombra ou luz difusa.

Deve ser cultivada sob pleno sol, meia-sombra ou sob luz difusa em solo fértil, leve, drenável, enriquecido com matéria orgânica e irrigado regularmente.

Nome Científico: Rhapis excelsa
Nome Popular: Palmeira-rápis, palmeira-ráfia, ráfis, rápis, palmeira-dama, jupati
Origem: China

A palmeira-rápis é uma elegante palmeira, ereta e entouceirada, muito utilizada na decoração de interiores. Os japoneses foram os primeiros a utilizá-la como ornamental, coletando espécimes na China, para adornar o Palácio Imperial.

Ela apresenta múltiplos caules, semelhantes ao bambú e revestidos com uma fibra rústica e marrom. As folhas são verde escuras e seu crescimento é lento, a palmeira-rápis pode alcançar até 4 metros de altura. Sua utilização paisagística é bastante ampla, podendo ser plantada isolada.

Deve ser cultivada sob sol pleno, meia-sombra, sombra ou luz difusa, em solo fértil e bem drenável, irrigado regularmente. A palmeira-rápis aprecia a umidade, mas não tolera o encharcamento.

Nome científico: Dypsis decary
Nome popular: palmeira triângulo
Origem: Madagascar

Palmeira de crescimento lento, podendo chegar até 6 m de altura. Sua copa é bastante extensa chegando até 3 m de diâmetro. Suas folhas são bem compridas e de coloração verde claro, como as folhas são arqueadas e distribuídas em 3 direções, são chamadas de palmeira triângulo.

Tem um valor altamente ornamental deve ser cultivada a pleno sol.

Nome Científico: Hyophorbe lagenicaulis
Nome Popular: Palmeira-garrafa
Origem: Ilhas Maurício

A palmeira-garrafa é uma espécie exótica e escultural, de crescimento lento e porte pequeno, atingindo de 3 a 6 metros de altura.

No paisagismo, pode ser aproveitada em plantios isolados, em grupos ou formando renques ao longo de caminhos. Particularmente, o plantio isolado valoriza a característica escultural da espécie, principalmente como um ponto de destaque no jardim.

Devido ao crescimento bastante lento é interessante adquirir mudas bem desenvolvidas, embora estas sejam mais caras. Com o passar dos anos, a planta passa da forma de garrafa a um formato mais cônico.

Deve ser cultivada sob sol pleno ou meia-sombra, em solo fértil. Planta tipicamente tropical, a palmeira-garrafa aprecia o calor e a umidade. Ela é indicada para o paisagismo em regiões litorâneas, pois resiste aos ventos e à salinidade.

Nome científico: Roystonea oleracea
Nome popular: Palmeira Imperial
Origem: Cuba

Palmeira solitária, robusta, provida de palmito de mais de dois metros de comprimento, atingindo entre 18 a 40 metros de altura, com caule colunar liso, de cor esbranquiçada. Folhas pinadas, atingindo de 2 a 4 metros de comprimento.

Inflorescências dispostas abaixo do palmito, bráctea peduncular de cerca de um metro e meio de comprimento. Frutos cilíndrico-alongados, arroxeados.

Palmeira muito usada no Paisagismo e de alto valor ornamental.

Cultivada sob sol pleno.

  • Pingback: Bambu divino | Africusa()

  • Geraldoluiza

    Parabéns pela organizacao e beleza do site!

  • Rui-barreto

    não achei a palmeira mini imperial?

  • Othon seixas

    Achei o que estava procurando.
    Muito legal o site.

  • Andresa

    Gostaria de vender minhas palmeiras, sabe onde consigo?

  • Cristina Melo

    Site muito esclarecedor, porém não se falou mais das raízes das palmeiras. Serão todas muito profundas ou há alguma que não afete conduítes e tubulações? Fica a pergunta.

  • luiz

    e aquela palmeira que da palmito como e o nome dela

  • MARTINA

    TENHO UMA PALMEIRA TRIANGULAR ENCOSTADA NA PICINA SÓ QUE QDO PLANTEI ELA TINHA 1M AGORA ELA ESTA COM UNS 4M ;A RAIZ DELA PODE ESTOURAR A PAREDE DA PICINA ? ATT CRISTINA